Alerta 01/2024 - Dengue na cidade da Praia, Ilha de Santiago, Cabo Verde

Alerta 01/2024 - Dengue na cidade da Praia, Ilha de Santiago, Cabo Verde

Causas

Agente
Dengue
Período
03 Jan 2024
a
decorrer
Região:
Cabo Verde
Local:
Ilha de Santiago
Áreas de Interesse
Sangue
Atualizações

Data
Informação

A 3 de janeiro de 2024, a WHO Africa publicou informação acerca da identificação de 2 casos confirmados de dengue na cidade da Praia, Ilha de Santiago, Cabo Verde, a 06/11/2023. Até 03/12/2023, foram notificados 222 casos suspeitos, incluindo 59 casos confirmados e nenhuma morte. De acordo com informação da Agência LUSA , que citava autoridades de saúde do país, a 27/12/2023, o número de casos de dengue em Cabo Verde subiu para 232 casos confirmados, havendo 485 casos suspeitos.

Os casos estão mais concentrados na Ilha do Fogo, com um total de 169 casos positivos, e na Ilha de Santiago, sobretudo na cidade da Praia, que conta com 51 casos.

Foram implementadas campanhas de informação e limpeza, entre outras medidas. Historicamente, o surto mais grave de dengue em Cabo Verde foi registado em 2009, com 21 000 casos e 6 óbitos, todos na ilha de Santiago.

Em termos de avaliação de risco, é importante referir que, na Ilha do Fogo, a principalmente afetada pelo presente surto, não há aeroporto internacional, tendo ligação aérea e marítima regular, algumas vezes por semana, com a ilha de Santiago.

Apesar de, recentemente, em Portugal, não terem sido notificados casos autóctones de dengue, face à situação epidemiológica em Cabo Verde e à situação entomológica, em Portugal, salienta-se a importância de se promover o atempado diagnóstico clínico e laboratorial e da identificação precoce dos sinais de alerta, em especial nas área de Portugal em que foi identificado a presença de vetor competente.

De acordo com a  Orientação 014/7017 atualmente em vigor, perante a suspeita de casos em Portugal, deverá proceder-se à notificação de caso suspeito no SINAVE med e ao envio de amostras para o INSA/CEVDI (Drª Maria João Alves. m.joao.alves@insa.min-saurle.pt: 265938310).

A DGS vai continuar a acompanhar a evolução da situação epidemiológica e entomológica a nível nacional e internacional.

 

Dengue
Ações a tomar

Face a esta situação pensamos adequado para a prevenção do risco de transmissão de Dengue através da transfusão: 

  • Suspensão temporária por um prazo de 28 dias, das pessoas candidatas à dádiva que tenham permanecido pelo menos uma noite nas regiões / países afetados (quando não existir referência a regiões);
  • Suspensão temporária por um prazo de 120 dias, das pessoas candidatas à dádiva após a resolução da infeção.